dom. jun 16th, 2019

Projeto do Trem Intercidades está emperrado por conta da burocracia

Fonte: Arquivo

O projeto do Trem Intercidades está travado em Brasília já que depende da intermediação do Governo Federal junto à empresa Rumo Logística, que detém a concessão de trechos que deverão ser usados para a viabilização.

O trajeto vai contemplar as cidades de São Paulo, Jundiaí, Campinas e Americana. O Secretário de Transportes Metropolitanos Alexandre Baldy disse que o governo estadual faz esforços para que o projeto seja viabilizado ainda este ano mas que deve ficar mesmo para 2020.

Ele explicou que o problema, nesse primeiro momento, é burocrático. Isso porque o Estado já tem a posse do trecho SP-Jundiaí, onde funciona a linha 7 Rubi da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) mas depende da posse dos dois outros: Jundiaí-Campinas e Campinas-Americana.  Para isso, precisa que o Governo Federal receba a concessão da empresa que hoje administra os trechos, e que tem contrato até 2028 e repasse ao Estado.

O projeto da Capital a Campinas prevê dois tipos de serviço: Um, expresso, que circulará em trecho de 102 quilômetros, com paradas em São Paulo (na Barra Funda), Jundiaí e Campinas), com tempo de viagem estimado em 60 minutos. Outro, da linha 7-Rubi da CPTM, que deve atender Valinhos, Vinhedo, Louveira e Jundiaí e que se integrará com a linha 7 em Francisco Morato.

O Ministério da Infraestrutura informou que no início deste ano, o Ministério da Infraestrutura e o Governo do Estado de SP acertaram a viabilização do Ferroanel de São Paulo, do projeto do Trem Intercidades e da concessão da rodovia Rio-Santos.

Da Redação
Canal Oito Campinas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: